Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Após cogitar que esquartejamento fosse autoria de facção, polícia de Caxias fala em crime passional

August 3, 2017

Após cogitar que o esquartejamento de um corpo fosse autoria de alguma facção, como ocorre na Região Metropolitana, a Polícia Civil de Caxias do Sul voltou atrás e agora cogita a hipótese de crime passional. As informações são do jornal Pioneiro.

A mudança na linha de investigação ocorre pela forma como as partes do corpo foram descartadas em sacolas plásticas, características que apontam para uma tentativa de ocultação de cadáver, o que não é usual entre grupos criminosos. As facções, por exemplo, fazem questão de exibir a cabeça da vítima como uma demonstração de força criminosa.

A Delegacia de Homicídios tem dois objetivos iniciais: recolher as imagens de câmeras próximas ao contêiner da esquina da Sinimbu com a Marechal Floriano e identificar o homem morto. Segundo o delegado Rodrigo Kegler Duarte, a vítima possui uma tatuagem, possivelmente no antebraço, de um ás de espada do baralho espanhol, que é utilizado para jogar truco.

— O primeiro passo é identificar a vítima. Por isso, pedimos que os familiares de alguém que tenha esta característica e esteja desaparecido nos procurem. Para definirmos a causa provável, se uma retaliação de facção ou motivo passional, precisamos ter o perfil da vítima — afirma.

Pelos primeiros indícios, a investigação acredita que os membros foram deixados no contêiner de lixo entre 21h30min e 23h - no total, 10 partes foram encontradas em sacolas e embaladas em jornal. Como as primeiras perícias apontaram que a morte é recente, o delegado Duarte acredita que o crime tenha ocorrido na região central.

— O que chama atenção foi a forma como este corpo foi fracionado em pequenos pedaços e cuidadosamente embalado. Quem fez isso teve bastante trabalho. Acredito não se tratar de uma ação midiática de facção porque a cabeça ainda não apareceu. É mais provável uma ocultação de cadáver — aponta o delegado Duarte.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload