Bebê nasce em vaso sanitário de uma casa em Montenegro

Um parto no mínimo inusitado ocorreu na manhã de domingo, no bairro Bela Vista. Angélica da Silva, de 25 anos, deu à luz um menino, no banheiro da casa onde vive. O curioso é que ninguém sabia de sua gestação. Logo após o parto, a jovem mãe de primeira viagem afirmou a quem lhe auxiliou, não ter percebido a gestação pela falta de sintomas. Mas a versão gera dúvidas.

O bebê nasceu no vaso sanitário da casa. Regina da Silva, 44 anos, que mora próximo, conta que foi ajudar e, ao chegar ao banheiro, encontrou Angélica já com o bebê nos braços, ainda com o cordão umbilical. Acionado, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) teve dificuldade em encontrar a casa. Eles receberam o uxílio da Brigada Militar e então prestaram socorro.

Participaram do atendimento o Sargento Daniel Augusto de Souza e o Soldado Felipe Finkler. “Nosso papel foi o de auxiliar a equipe do SAMU, em especial pelo difícil acesso do local. Quando chegamos, o bebê já tinha nascido. Ela deu à luz no banheiro. Ao entrarmos na casa, vimos que ela estava com o bebê no colo, ainda com o cordão intacto. Acreditamos que o menino está bem”, explica Souza. Foi um atendimento rápido, as equipes não passaram mais de 20 minutos na casa. “Não entramos em detalhes se ela sabia ou não da gestação”, diz o Sargento.

Ademar da Rosa diz que Angélica foi acolhida por não ter onde viver, mas não sabia da gestação

Angélica vivia na casa de Ademar da Rosa e Maria Terezinha Sarmento da Rosa. Para eles, talvez a jovem soubesse da gravidez, mas tenha preferido manter segredo, apesar deles terem lhe questionado sobre uma possível gestação. “Ela não tinha onde ficar e nós a acolhemos. Não podíamos deixar na rua. Mas a gente não sabia da criança. Ela tinha barriga dura, a gente desconfiou e perguntou. Ela disse que não estava grávida”, conta Ademar da Rosa. Eles não são familiares de Angélica, apenas lhe cederam um teto e, afirmam, ela poderá seguir vivendo lá, agora com o filho.

A vizinha Regina da Silva conta que Angélica deixou de viver com os familiares há alguns anos, indo para outra região da cidade. Retornou, há mais de um ano, e, devido a problemas de relacionamento com os familiares, não teve onde morar, sendo acolhida pela família Rosa. “Ela sabia que estava grávida. Só que preferiu esconder. Já morava de favor e tinha medo de que, caso as pessoas da casa soubessem, a expulsassem”, diz Regina. Segundo Ademar, isso não ocorreria. “No quarto dela tem uma cama de casal, ela pode ficar com o bebê lá. A tendência é que venha pra cá, ela não tem nada, nem pra onde ir”, diz.

Mãe e bebê foram encaminhados ao Hospital Montenegro (HM). O bebê teria nascido bem, porém, bebido água do vaso sanitário. Até o fechamento dessa edição não se tinha confirmação por parte do HM do estado de Angélica, que foi encaminhada ao bloco cirúrgico. Uma tia da jovem, que também mora na região, teria se responsabilizado pelas duas e as acompanha no Hospital.


Posts Em Destaque
Teremos posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes