Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Encontros com agentes de saúde e agricultores sobre controle do borrachudo são realizados

January 25, 2017

A palavra é união! Com essa prerrogativa, Salvador do Sul, São Pedro da Serra e Barão concluíram na semana passada o primeiro passo para retomar com força o controle do borrachudo na região. Foram três encontros, um por município, onde estiveram presentes os secretários da agricultura e meio ambiente, agentes de saúde e agricultores. Juntos, os municípios desenvolveram uma estratégia para melhorar a situação e controlar a incidência do mosquito que tanto incomoda, tanto no centro, como na área rural.

 


O prefeito de Salvador do Sul Marco Aurélio Eckert, o vice-prefeito Leo Haas, a secretária da Agricultura e Meio Ambiente, Gledes Forneck, a secretária da Saúde, Márcia Ebbing, o secretário da Administração e Planejamento, Volmir Weber, a secretária da Cultura, Turismo, Desporto e Lazer, Elaide Petry Löff, dentre outras lideranças do município, como representantes da Emater/Ascar-RS e Corsan, acompanharam junto dos convidados a explanação do gestor ambiental e técnico florestal Marcos Marchezan Ferreira em Salvador do Sul, na  Assemssul na última quinta-feira, 19.

 


O gestor destacou que a principal medida a ser tomada é a prevenção, desenvolvendo ações de revitalização das matas ciliares, controle da disposição de dejetos de animais e as intervenções do homem, como jogar lixo nos arroios. “O borrachudo se desenvolve nas pedras, capim, folhas, mas nós estamos auxiliando e muito, negativamente, jogando pneus, sacolas, canos de PVC dentro dos arroios, um prato cheio para o mosquito”, explicou Marchezan.

 


A secretária Gledes lembrou que existe uma lei municipal, de 1998, que auxilia o reflorestamento, com doação de mudas. “Os custos para reflorestar são menores e nos garantem bem-estar. Todos precisam estar cientes disso. O BTI, que deveria ser o último recurso, custa R$ 98 o litro. Por ano, aos cofres públicos custa R$ 20 mil, algo que poderia ser investido em outros locais”, disse Gledes. Os encontros também estão sendo para, além de instruir, sensibilizar as pessoas a se tornarem aplicadores voluntários. Salvador do Sul tem hoje somente uma pessoa responsável, enquanto em São Pedro da Serra são 25 pessoas.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags